Review do Jogo Batman: Arkham City

Sequência é a melhor versão de um herói para os videogames e une diversão, ótimos combates e uma história de tirar o fôlego. Acompanhe nossa análise!

Se você estava desapontado com as últimas adaptações das aventuras de super-heróis para os consoles, como “Capitão América” e “Lanterna Verde”, pode ficar despreocupado. “Batman: Arkham City”, sequência do aclamado “Batman: Arkham Asylum”, é de longe a melhor versão de um herói para os videogames, pois consegue unir diversão, ótimos combates e uma história de tirar o fôlego. Acompanhe nossa análise de um dos melhores jogos do ano!

Vamos começar pela história. Diferente do primeiro game, que se concentrava dentro dos muros do asilo de super-vilões, o cenário desta vez é a imensa Cidade de Gotham. O diretor do asilo Arkham, Quincy Sharp, resolve elevar seus planos para recuperar os piores criminosos da cidade, e compra toda a parte pobre de Gotham a fim de transformar a área em um gigantesco hospício. Os criminosos são transportados para a recém-criada Arkham City sob a fiscalização de Hugo Strange, o psquiatra maníaco obcecado em descobrir a identidade secreta do Homem-Morcego.

Numa tentativa de acabar com o novo município, Bruce Wayne decide se aventurar na política, mas acaba sequestrado e jogado no meio de todos os prisioneiros. A partir daí, chega a hora de se tornar Batman e investigar a suposta tranquilidade da cidade. Mas não acaba por aí: no decorrer da trama, Bruce é contaminado com uma grave doença que atinge nada mais, nada menos que seu principal rival: o Coringa. E numa corrida contra o tempo, o Cavaleiro das Trevas terá de encontrar a cura, caso o contrário: game over!

Com tanta informação, é claro que os cenários teriam um papel fundamental para agradar aos gamers, e com certeza os gráficos vão impressionar a todos. Algo bem característico é a amplitude vista em Gotham City: em várias missões, por exemplo, Batman tem de fazer verdadeiras viagens pelo céu, onde é possível ver o quanto foi investido em tecnologia visual para dar o melhor efeito à cidade, que é rica de detalhes. A cada esquina é possível enfrentar grupos inteiros de criminosos, encontrar vilões como o Duas-Caras ou Pinguim, e o perigo está até nas menores coisas, exigindo cuidado e atenção. Dessa forma, a ação acontece mesmo nas ruas e não no alto dos prédios.

É aí que surgem as “Missões Secundárias”, que ocorrem simultaneamente ao game e não prejudicam a história principal caso o jogador opte em não cumprí-las. É uma ótima forma de explorar e conhecer ainda mais a grande cidade de Arkham, já que nesses desafios outros personagens conhecidos dos fãs vão colocar à prova o Cavaleiro das Trevas. Entre eles Pistoleiro, Chapeleiro Louco e claro, o Charada, que espalhou inúmeros enigmas por toda Arkham para que o Morcegão os resolva. Mas calma, pois você não vai se sentir tão perdido assim, já que existe uma espécie de bússola no topo da tela que marca para onde o Batman deve ir.

As lutas e combates são verdadeiras cenas de adrenalina, e dependendo da dificuldade escolhida pelos gamers antes de começar o jogo, os inimigos podem se tornar grandes problemas durante a ação. Batman terá de enfrentar soldados, monstrengos de um braço só, mulheres com espadas ninjas e, em algumas cenas, quase vinte criminosos vão para cima do Morcegão, que deve derrotá-los sozinho!

Os controles também dão um show à parte por serem bem resolvidos. Os mecanismos usados pelo Homem-Morcego, como a “Bat-Garra” e o “Batarangue”, por exemplo, ficam agrupados na mão esquerda do jogador. Já na direita estão os botões de movimento e combate. Conforme o avanço do game, novas ferramentas são habilitadas, possibilitando montar combos especiais de golpes, chutes, socos e até tempestades de morcegos contra os inimigos. Aliás, o game possui um esquema de pontuação onde são destravadas melhorias nos equipamentos e movimentos do Morcegão.

Todas as técnicas do herói foram aprimoradas. Algo que o jogador usará muito é o Modo Detetive. Com ele, é possível procurar pistas de assassinatos, sangue e outros elementos, além de observar os pontos de calor dos ambientes – incluindo os inimigos. Mas as grandes diferenças em relação ao primeiro jogo ficam por conta das funções de voo, que estão bem mais completas, e dos sistemas que contêm os mapas, ferramentas e informações sobre os personagens vistos durante a história.

Ao terminar o jogo pela primeira vez, você pode começá-lo novamente com algumas diferenças: os inimigos estarão mais fortes e armados, e a resolução de puzzles e quebra-cabeças será ainda mais difícil. Outra parte bem interessante são os Mapas de Desafio, que são habilitados através dos troféus Charada adquiridos no decorrer da história principal. Eles funcionam como pequenos treinamentos onde você terá de derrotar os adversários e montar combos de ataques para ganhar medalhas.

Quem é fã da Mulher-Gato vai gostar, já que os gamers poderão jogar com ela em “Arkham City”! Mesmo sem comprometer a história principal, controlar a personagem possibilita dar uma nova narrativa ao game e saber um pouco mais sobre o que está acontecendo em Arkham. Os comandos para enfrentar criminosos são os mesmos do Batman, mas com uma pitada de estilo e agilidade, já que a Mulher-Gato é muito mais acrobática ao usar golpes, reflexos e seu famoso chicote para escalar gigantescos edifícios.

O fiel escudeiro do Homem-Morcego também está disponível para jogabilidade. Apesar de fazer uma rápida aparição na trama principal, Robin só poderá ser usado em mapas de desafio. Mas os gamers podem esperar por muita ação e adrenalina, pois os modos de combate do Garoto-Prodígio são incríveis e muito mais rápidos que os do Batman – sem desmerecer o Morcegão, claro. O jovem, além de possuir as mesmas técnicas usadas por seu mentor, também faz uso de bombas e uma vara para atingir os inimigos.

Por fim, temos o Asa Noturna, que também só está disponível para mapas de desafio. Os movimentos do herói são ainda mais rápidos que os do Batman, com a possibilidade de usar dois bastões e ataques elétricos contra os adversários. Vale lembrar que os três personagens só são jogáveis através de um DLC que acompanha alguns pacotes especiais do jogo original, ou podem ser baixados pela PSN ou Xbox Live Arcade por cerca de quinze reais cada. Aliás, também há um DLC de novas roupas para o Batman, feito através de download.

Talvez a única desvantagem seja o fato de não haver um modo cooperativo, como Batman e Robin lutando juntos, por exemplo. Mas nada que acabe com o clima de ação, aventura e muito mistério – e com direito a legendas em português, já que a Warner Bros lançou uma versão com subtítulos na nossa língua. Assim você não perde nenhum detalhe da melhor adaptação de um super-herói para os consoles!

Vídeo Youtube:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*