Como aprender programação mais rápido

 

É muito fácil ficar perdido ou perdida quando se inicia na programação. São vários assuntos, conceitos, princípios, algoritmos, frameworks, libs e linguagens que estamos constantemente estudando. Isso pode se virar contra nós (causando algo que chamamos de burnout).

Vou tentar abordar os pontos que os iniciantes sempre perguntam:

  • “Parece que não estou evoluindo”: sim, você está evoluindo só de estar se esforçando para entender. Eu não posso te provar isso agora, mas daqui algum tempo você vai lembrar de coisas que aprendeu aqui, no comecinho da sua jornada. Não se preocupe com isso agora (falo sério)!
  • “Eu não consigo resolver o exercício”: na verdade não precisa resolver, você só precisa tentar. Depois de tentar algumas vezes e não conseguir, veja a solução. Esse será o seu momento “ahaaaa” (aquele que você pensa: “porque eu não pensei nisso antes?“). Além disso, lembre-se de não se comparar com outros alunos, muito menos com o professor.
  • “Eu não lembro de nada do que foi explicado quando vou escrever meu código”: sabe que eu também esqueço muitas coisas rapidamente? Principalmente se são coisas que tenho pouco contato ou pouca experiência. Isso é algo super normal, então relaxa! Não há nada de errado com isso.
  • “Eu acho que não tenho talento pra isso”: sinceramente, eu acho aquele clichê – “você pode fazer tudo o que quiser fazer” – velho, mas real. Com um pouco de prática você faz literalmente o que quiser (incluindo programar um foguete para a SpaceX ou NASA).
  • “Sou velho(a) demais para entrar no mercado”: idade não tem nada a ver com nada (nem com programação, nem com o mercado de trabalho). Com uma pesquisa rápida você pode encontrar gente com muito mais experiência de vida que você, entrando numa carreira nova ou mudando completamente seu destino. Aqui é o mesmo que disse anteriormente, você pode fazer tudo o que quiser.

Sempre que você sentir que está se sobrecarregando de conteúdo, pare um pouco. Descanse, durma, converse, beba água (ou um café) e desconecte-se um pouco. Nós vivemos uma vida pulando de tela em tela, sem dar descanso para o cérebro. O resultado é um sentimento de improdutividade que pode causar o que vou falar logo abaixo.

Cuidado com o burnout

Não era pra acontecer algo assim, porém é muito comum a gente perder aquele gás inicial e até pensar em desistir da programação como um todo. Vai por mim, isso já passou pela minha cabeça tantas vezes que nem posso contar.

Eu não posso te dizer que encontrei a solução para isso, porque eu sinto isso também ainda hoje (depois de vários anos trabalhando com isso). É muita informação, muita coisa desconhecida e muitas pessoas com ideias “furadas” dando opiniões que realmente não precisamos ouvir nesse ramo (em todos os ramos, na verdade).

O que eu aprendi com o tempo foi que eu realmente não preciso saber tudo o que há pra saber na programação, sequer preciso saber tudo da linguagem de programação que estou trabalhando. Eu só preciso aprender uma coisa de cada vez no meu tempo. Pode levar um dia, uma semana, uma mês ou até um ano (o tempo aqui realmente não importa), o que importa é eu não perder o brilho nos olhos e continuar aprendendo sempre.

Separe um tempo (meia hora, uma hora, você que manda) por dia e continue sempre aprendendo. Uma coisa nova por vez, sem estresse e sem burnout, apenas aprendizado.

Quando sentir algum cansaço ou desconforto, descanse. É simples assim!

Dicas de aprendizado

Aqui seguem algumas dicas que uso para aprender e realmente fixar o conteúdo aprendido.

Dica #1 – Não faça de um curso, uma maratona de TV

Não assista uma aula seguida da outra incansavelmente (a não ser que seja algo muito simples e você tem a certeza de ter entendido). Assista uma aula, tente entender o que está sendo explicado e aplique o conteúdo por conta própria.

Nosso cérebro precisa de tempo para absorver o conteúdo, principalmente se for algo novo. Faça intervalos regulares entre as aulas.

Dica #2 – Assista mais de uma vez

Geralmente, quando estou em qualquer curso ou lendo algum livro e não entendo algo, eu assisto ou leio mais de uma vez. Talvez até com um intervalo grande entre as vezes (tipo de um dia pro outro).

Nada é melhor do que um cochilo ou um descanso pra fixar coisas na nossa memória. (vou falar mais sobre isso mais adiante no texto – em “Forgetting Curve”)

Dica #3 – Anote

Muitas pessoas detestam isso, mas ANOTE com papel e caneta.

Tenha um bloco de notas (físico) ou caderno e faça suas anotações e questionamentos de maneira manual (com caneta ou lápis). Já tive casos onde apenas o ato de anotar, resolveu minha dúvida.

Além disso, o ato de anotar pode te salvar tempo. Imagine ter que rever um curso inteiro pra descobrir onde foi falado de determinado método em determinado framework?

Dica #4 – Fale o seu problema em voz alta

Falar em voz alta ajuda a solucionar problemas e até a entender melhor seu código. Leia sobre o Debug com Pato de Borracha, para entender melhor do que estou falando.

Dica #5 – Ajude ou explique para alguém

Como você já deve ter percebido, aqui na Udemy temos um fórum onde respondo várias perguntas diariamente para cada uma das aulas. Só o ato de tentar descobrir o problema do colega, ajuda a fixar melhor o conteúdo e aprender ainda mais coisas.

Eu sempre digo isso e não é clichê, é real: a melhor maneira de aprender é ensinando.

Pra quem pergunta: evite adicionar o termo “professor” na sua pergunta, apenas pergunte. O professor lê todas as perguntas, então é irrelevante começar sua pergunta com “professor”. Isso afasta os colegas que poderiam responder sua pergunta talvez até mais rápido ou melhor que o professor.

Dica #6 – De novo, descanse!

Essa é rápida porque já falamos disso: seu cérebro não vai gravar o conteúdo se você estiver estudando cansado(a).

Dica #7 – não espere seu problema se resolver sozinho!

As vezes aparecem problemas ou erros que ninguém daqui do curso (incluindo o professor) viu anteriormente, e ele não vai se resolver sozinho.

Pesquise na internet, veja a documentação, veja outros fóruns. Sua vida de programador(a) vai ser assim dia após dia. No fim das contas, o trabalho de um(a) programador(a) é SOLUCIONAR PROBLEMAS.

Dica #8 – Reveja o conteúdo!

De acordo com a Forgetting Curve de Ebbinghaus, que fala da hipótese do declínio da retenção de memória ao longo do tempo, seu esquecimento funciona da seguinte maneira quando você não revê algo (a conta não é precisa, é algo aproximado apenas para exemplo):

  • Acabei de aprender – Sei 100%
  • 20 minutos depois – Sei 60%
  • 1 hora depois – Sei 50%
  • 1 dia depois – Sei 30%
  • 1 semana depois – Sei 20%
  • e assim vai até eu esquecer completamente

Para combater o esquecimento, podemos reforçar o conteúdo revendo as aulas da seguinte maneira:

  • Reveja o conteúdo mais tarde no mesmo dia que aprendeu
  • Reveja o conteúdo 1 dia depois
  • Reveja o conteúdo 5 dias depois
  • Reveja o conteúdo 10 dias depois

É garantido que você não esquecerá mais o que aprendeu (a não ser que nunca mais use).

Dica #9

Faça exercícios físicos e beba bastante água!

Isso é dica para sua saúde mesmo, mas acredite se quiser, ajuda a aprender melhor e mais rápido ter o corpo hidratado.

Sobre o efeito Dunning-Kruger

Se você está iniciando na programação, é muito provável que isso ocorra com você (não se preocupe, isso é normal):

  • Com pouco aprendizado, você vai achar que sabe programar, então sua confiança vai lá pra cima. Nesse ponto você desafia até quem escreveu o framework ou a linguagem que você está usando, porque você acha que sabe mais que essa pessoa. Não é sua culpa, porque aqui você não tem como saber do que você ainda não sabe;
  • Quando você tiver problemas de programação para resolver, vai procurar por soluções que resolvem esses problemas, como padrões de projeto, arquitetura de software, padrões para testes, DDD e muitas outras coisas. Neste momento, você está em um nível intermediário e sua confiança vai despencar, porque você vai achar que não sabe absolutamente nada. Aqui acontece um efeito que chamamos de síndrome do impostor. Você sabe muito, mas diante da quantidade de coisas novas que vai encontrar para aprender, vai achar que não sabe nada (TENTE EVITAR ISSO E SEGUIR EM DIANTE, LEMBRE-SE QUE VOCÊ SABE MUITO);
  • Quando você resolver vários desses problemas de programação, seu nível de conhecimento e experiência vão estar em um nível tão avançado, que sua confiança no que você sabe e o que você realmente sabe vão ser totalmente estáveis. Você sabe o que sabe e o que precisa aprender.

Muitas pessoas consideram apenas a síndrome do impostor na programação, mas esse é o efeito Dunning-Kruger completo.

Tente evitar essas quedas de confiança e sempre estar ciente de que você já aprendeu muita coisa. É impossível saber tudo o que há sobre programação então sempre vai faltar algo para você aprender. Não deixe isso tirar o seu gás e a vontade de aprender. Por outro lado, tente não ser “a pessoa chata” da sala, aquela que acha que sabe mais que todos. Não se esqueça que, se você estiver nesse nível, ainda estará em uma fase de aprendizado totalmente iniciante.

Fonte > (Professor, Luiz Otávio)

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: